Tudo que você precisa saber

Quais são os requisitos e quantas pessoas estão em cada viagem?

Você pode verificar os níveis de cada rota no site. Você precisa se sentir confortável praticando o esporte e manuseando o equipamento por longos períodos de tempo. Você pode formar seu próprio grupo e reservar datas para fazer kite com seus amigos. O mínimo é de 4 pessoas e o máximo de 10 pessoas. Verifique a disponibilidade por e-mail.

Faço kitesurf há um ano e meio, sou iniciante e gostaria de saber se existe algum percurso para este nível?

Tudo depende de quantas vezes por ano você pratica kitesurf e o que você aprendeu. Para o iniciante, não recomendamos viagens longas, pois podem ser bastante rigorosas. Existem vários trechos ao longo da costa brasileira que são muito longos e exigem um certo nível de habilidade e condicionamento físico. Podemos recomendar o nosso roteiro Light Jeri para iniciantes e para aqueles que querem praticar para os percursos mais longos. É mais curto e você viaja menos quilômetros por dia. 

Qual é o "dia de teste" antes do vento a favor?

Isso dá à nossa equipe a oportunidade de ver e analisar suas habilidades de kite, garantindo que você seja capaz de completar a rota.

Você tem alguma dica para quem acabou de começar a praticar kite?

Confira nossos parceiros de hotéis E-group, que estão convenientemente localizados em locais incríveis, menores, e estratégicos para downwinders. Neles você pode praticar e se preparar para rotas mais longas do Surfin Sem Fim. Saiba mais no site deles: www.egroup.net.br

Como chegar aos hotéis em Cumbuco e Jeri? Como faço para voltar das Rotas Delta que terminam no Maranhão?

Os preços dos transfers não estão inclusos no nosso pacote. O transfer do aeroporto para Taiba leva cerca de 45 minutos e custa em torno de R$ 250,00.

Ir de Fortaleza ao Preá leva cerca de 4 horas e custa cerca de R$ 650,00, que pode ser dividido por até 4 pessoas. Mais perto da data de sua chegada, podemos organizar todos os transfers para você e ajudar a encontrar maneiras de dividir os custos com outros clientes, caso precise.

Outra opção é a Fretcar: www.fretcar.com.br. Eles têm ônibus do aeroporto de Fortaleza para Cumbuco, Preá e Jeri a custos mais baixos.

Nas rotas que terminam no Maranhão (Atins), recomendamos pegar um voo de São Luís para o retorno. O transfer de Atins para São Luis leva cerca de 5 horas e custa em torno de R$ 850,00. Isso inclui 1,5 hora de traslado de barco ao longo do rio Preguiça, o que é incrível. Em seguida, você pega um transfer de carro de Barreirinha para o aeroporto, que leva cerca de 3,5 horas e pode ser dividido por até 6 pessoas. Vale a pena prolongar sua aventura por alguns dias em Atins, onde você poderá conhecer uma das maravilhas do mundo: os Lençóis Maranhenses. Mas lembre-se que a água das lagoas só pode ser admirada entre os meses de junho a outubro.

Como a bagagem viaja de hotel para hotel?

Existe um veículo 4×4 que segue cada grupo por sua sua rota pela praia com comida e bebida durante todo o percurso, enquanto transporta suas bagagens. Em algumas áreas, o carro não poderá seguir o grupo devido às condições da paisagem.

Em quais hotéis vamos ficar? Posso sair ou chegar em qualquer ponto durante a viagem?

Hospedamo-nos em hotéis à beira-mar, escolhidos pelo conforto e bom atendimento. Sempre antecipamos quartos duplos, mas há momentos em que os hotéis estão cheios e você será dividido entre grupos de três pessoas.

Aqui está uma lista de hotéis aqui que vamos ficar:

Cumbuco – Windtown/ Taiba – Vila Marola/ Guajirú – Vila Vagalume/ Icaraízinho – Villa Mango/ Arpoeiras – Pousada Canoas/ Preá & Jeri – Rancho do Peixe & Vila Kalango/ Camocim – Bangalô São José/ Barra Grande – BGK/ Coqueiros – Vila Itaqui/ Ilha dos Poldros – Delta/ Tutóia – Jagatá/ Atins – Oceano Atins.

Por favor, sinta-se à vontade para procurá-los e ter uma ideia de onde ficaremos. Se houver disponibilidade, poderá desfrutar dos hotéis antes ou depois da nossa viagem. Para os inscritos no SSF, podemos oferecer dias extras com 10% de desconto para estadias nos charmosos hotéis do Rancho do Peixe e Vila Kalango.

Quem são os capitães, co-pilotos e atletas?

O Capitão é responsável pelo grupo como um todo (fora e dentro da água). Ele é o ponto de focal e decide os dias do programa, coordena os briefings, guia com seu kite na frente do grupo e tem a palavra final nas decisões necessárias. Ele toma as decisões relacionadas ao Kiting em geral.

O Co-Piloto é o nosso guia nativo que veleja atrás do grupo, e que estará monitorando a segurança e cuidando do grupo.

O atleta profissional é escolhido para ser um guia de apoio, além de treinar os participantes que irão evoluir ao longo do downwinder.

Quais kites são normalmente usados e quais devo levar?

We recommend kite sizes in between: 7-10 (this is according to the weight of the sailor and the wind intensity). Ideally bring 2 different sized kites and 2 boards.

Downwind with surfboard with Strap is always the better option, but twin tip will be a lot of fun too. You can also bring: replacement fins, bars, and lines which are warmly welcome. Camelback backpack is extremely important as well.

It’s good to bring 1 suitcase for clothes, 02 kites, 02 boards (twin -tip and surfboard). Also sunscreen, long sleeve lycra, cap, sunglasses, and your GoPro

Recomendamos tamanhos de kite entre: 7-10 (o exato varia de acordo com o peso do velejador e a intensidade do vento). O ideal é trazer 2 kites de tamanhos diferentes e 2 pranchas.

Downwinder com prancha com Strap é sempre a melhor opção, mas a bidirecional também será muito divertida. Você também pode trazer: quilhas de reposição, barras e linhas extras são muito bem-vindas. A mochila Camelback também é extremamente importante.

É bom trazer 1 mala para roupas, 02 kites, 02 pranchas (bidirecional e de surf). Também (muito) protetor solar, lycra manga longa, boné, óculos de sol e sua GoPro.

Como vocês garantem a segurança?

Nosso capitão e co-piloto são conhecedores da rota preparada e primeiros socorros. Juntos eles decidem se uma pessoa é capaz de seguir os trechos da praia onde o carro não consegue acompanhar o grupo. Pensamos em tudo e temos um sistema de segurança que inclui:

≈ Guia profissional de kitesurf (inglês/português/espanhol),

≈ Atleta Profissional apoiando o grupo com o Capitão.

≈ Programação e logística pela costa

≈ Carros disponíveis com motoristas, que conhecem muito bem a região

≈ GPS e sistemas de segurança capazes de entrar em contato com a costa enquanto estiver no mar

≈ Telefone de emergência SOS para entrar em contato com o resgate, se necessário

≈ Telefone por satélite com ligação à costa

A alimentação está inclusa?

Yes, we include:

Welcome drinks upon arrival at each hotel.

Breakfast and dinner at each hotel. Soft drinks, capirinha and beer.

A lunch of sandwiches, fruits, water, and Gatorade during the route.

Other drink options at the hotels are extra costs.

O que é sugerido para as pessoas que me acompanham?

Para quem não veleja, sugerimos relaxar e aproveitar os hotéis. Caso a pessoa tenha interesse em ir de carro, observar e apreciar a paisagem, é possível oferecer um desconto de 15% no pacote, pois estará conosco durante todo o trajeto. Envie um e-mail para verificar as condições e disponibilidade.

Os quartos do hotel são quartos duplos? Posso ter um quarto individual?

Nosso pacote contempla hotéis com quartos duplos, exceto: Rota Delta na Ilha dos Poldros no Delta do Parnaíba, onde pode ser necessário dividir quarto com mais uma pessoa.

Para as opções de quarto individual teremos que verificar a disponibilidade nos hotéis, pois é um período de alta temporada. Se houver disponibilidade, provavelmente haverá um aumento no preço.

Reservar um quarto individual pode ser difícil porque é alta temporada e os hotéis ficam à beira-mar. Não podemos garantir a disponibilidade de quartos individuais, mas faremos tudo para satisfazer as necessidades.

Durante a Rota Clássica, pernoitamos em Arpoeiras na pousada Canoas, que é uma pousada simples na praia.

Como levar um acompanhante que quer aprender a fazer kite?

O melhor lugar para quem está aprendendo kite é na escola WSC na praia do Preá. Esta é a chegada da Rota Clássica e o ponto de partida das rotas Delta. É ótimo para quem quer aprender ou desenvolver seu kite. Você será muito bem cuidado pela equipe que pode ajudá-lo a melhorar/adquirir suas habilidades de kite.

Quantos Quilômetros fazemos kite por dia? Temos paradas para descanso?

O carro é equipado com bebidas e comidas, e paramos em pontos estratégicos para comer e descansar. Se você precisar sair da água, estaremos lá para ajudá-lo.

Temos as seguintes rotas*:

Light Jeri:40 km

Delta Wild: 90 km

Delta Parnaíba: 60 km

Classic Short: 160 km

Classic Route: 260 km

Delta Poldros: 270 km

Delta Experience: 200 km

The Corner of Brazil: 200 km

Delta Preá:130 km

Special Coaching: 300

Iron Man: 625 km

Delta Route: 340 km

Jeri Leve: 40 km

Delta Selvagem: 90 km

Delta Parnaíba: 60 km

Clássico Curto: 160 km

Percurso Clássico: 260 km

Delta Poldros: 270 km

Experiência Delta: 200 km

A Curva do Brasil: 200 km

Delta Preá: 130 km

Treinamento Especial: 300

Homem de Ferro: 625 km

Rota Delta: 340 km

*Devido ao tamanho de alguns trechos, caso não tenha nível ou preparo, você pode fazer uma pausa no 4×4 e retornar ao mar para finalizar o percurso posteriormente.

O que é mais difícil, a rota Jeri-Delta ou a rota Cumbuco-Jeri? Quais são os pré-requisitos para fazer o Surfin Sem Fim?

Ambas as rotas requerem preparação física e resistência. Consulte os níveis de rota em nosso site ou entre em contato conosco por e-mail para saber mais sobre a dificuldade da rota.

Como eu posso pagar?

Os pagamentos podem ser feitos com cartões de crédito ou débito, bem como depósitos diretos em nossa conta.

Se eu tiver necessidades alimentares, o que devo fazer?

Avise-nos com antecedência para que tenhamos tempo de informar os hotéis.

Por que o Brasil?

Paraíso

Venha ver por que o Brasil é considerado um dos países mais bonitos do mundo! Quando você pensa em “tropical”, o que vem à mente? Aqui você vai descobrir que as águas quentes e praias de areia branca são um espetáculo para ver, e vai deixá-lo querendo voltar. O clima tropical também criou uma exuberante floresta tropical em toda a maior parte do país, onde você pode encontrar belos animais e paraísos escondidos.

 

Cultura

Os brasileiros são conhecidos por serem algumas das pessoas mais “quentes” e têm tanto a oferecer: esqueça os estereótipos! Conheça o estilo de vida acolhedor e descontraído dos moradores locais, onde os bons tempos não terminam. Você sempre se sentirá seguro e seguro, especialmente com a cena do kitesurf ao longo da costa!

Não se esqueça de comer mais do que deveria. A comida no Brasil é incrível! Frutas e hortaliças frescas são um privilégio diário, e são produtos dos ricos ambientes agrícolas encontrados no Brasil. Aqui você encontrará frutas que não podem ser encontradas em nenhum outro lugar do mundo, e podemos garantir que o açaí vai deixá-lo com “saudades”. Desfrute de um bife suculento, ou algum peixe fresco, o Brasil tem tudo!

 

Kitesurf

Existem várias localidades no Brasil para kitesurf, mas algumas das melhores condições para praticar kitesurf do mundo são encontradas ao longo do litoral nordestino do Brasil. Esta região oferece condições incríveis, perfeitas para kiters que:

• Quer praticar kiting de longa distância e testar sua resistência
• Estão interessados em progredir e melhorar suas habilidades de kiting
• Estão procurando uma nova aventura e praticar o esporte do kitesurfing.
• Mais importante, condições que são perfeitas para kiters de todos os níveis

De Cumbuco a Atins você encontrará vento bom, água quente, céu claro por 7 meses ao longo do ano. Essa região apoia a alta estatística média de ventos do Brasil. Os locais de kite estão no meio do paraíso, e são diferentes de qualquer outro lugar do mundo! Venha ver você mesmo.

Quem escreveu essa FAQ?

Esta FAQ foi escrita principalmente por Bowen Dwelle, um kitesurfista de São Francisco que visitou o Brasil várias vezes, a partir de 2008. Bowen é embaixador da marca e guia on-the-water da Surfin Sem Fim.

Quais são algumas das melhores coisas de viajar para o Brasil para praticar kitesurf?

  • Ele sopra todos os dias na Terra do Vento!
  • Litoral Incrivelmente belo e tropical com quilômetros e quilômetros de praias arenosas
  • Cultura calorosa, amigável, acolhedora e diversificada
  • Clima quente (calções de banho!)
  • O kitesurf é um esporte conhecido e as pessoas adoram!

Como é o Brasil e o povo do Brasil, em geral?

O Brasil é um país muito grande, incrivelmente diversificado e vibrante. É quase tão grande quanto os Estados Unidos, excluindo o Alasca e o Havaí, e tem uma população de mais de 200 milhões. Você pode encontrar todos os tipos de paisagens no Brasil, e a população tem história em povos indígenas, bem como imigrantes da África, Europa e Ásia, resultando em uma cultura muito diversificada e cosmopolita. Na minha experiência, o povo brasileiro é amigável, aberto, prestativo, bem educado, viajado e interessado em conhecer e interagir com os visitantes de seu país.

Para mais informações, confira o artigo da wikipédia: https://pt.wikipedia.org/wiki/Brasil 

Como é o clima no Brasil?

Em geral, o clima é ótimo! Na direção norte do Brasil, o clima é muito consistente e geralmente fica em torno de 24º-30ºC, sem chuva e com dias ensolarados e ventosos. Embora seja nos trópicos, essa parte do Brasil é arejada e não muito úmida, e você costuma estar na água durante as partes mais quentes do dia.

E quanto ao idioma — preciso falar português?

Você já deve ter ouvido falar que “português é difícil” – e tende a ser mais complicado que o espanhol, por exemplo. Dito isso, você não precisa falar português para viajar no Brasil. No norte/nordeste você conhecerá pessoas de todo o mundo, e o idioma padrão para todos os viajantes é… o inglês! O Surfin Sem Fim também opera principalmente em inglês, por isso nossos capitães, guias, motoristas e funcionários falam inglês. Claro, aproveite para aprender um pouco de português; as línguas são divertidas!

Quão seguro é viajar no Brasil?

Os kiters que visitam o Brasil com o Surfin Sem Fim geralmente acham o Brasil um país muito seguro (mais do que alguns outros destinos de kitesurf como Havaí e México, por exemplo).

É importante entender que o Brasil é um país muito grande, e é sempre importante saber onde você está e para onde vai. Existem algumas áreas remotas, na Amazônia por exemplo, onde é melhor viajar com um guia ou um local que possa te ajudar a se locomover sem problemas. Você não precisa desse guia nas áreas onde viajamos para o kitesurf.

As maiores cidades do Brasil podem ser comparadas a cidades de qualquer outro país do mundo: é sempre bom ter cuidado. Preste atenção para onde você está indo e seus arredores. Tente evitar locais não movimentados, escuros e que você não conhece, principalmente à noite. Sempre respeite a cultura do país que você está visitando. Com essas dicas você pode viajar com segurança e facilidade pelo Brasil sem problemas.

Como os brasileiros se sentem em relação aos estrangeiros? E os americanos?

Os brasileiros são conhecidos por serem pessoas calorosas e acolhedoras. Se você respeitar a cultura deles, eles provavelmente o abraçarão como uma família e o ajudarão com qualquer coisa que você precisar. Na maioria dos casos, os brasileiros gostam muito dos americanos, pois os dois países compartilham várias semelhanças culturais – incluindo o amor pela música, compras, atividades ao ar livre, comida, turbulência política e esportes.

Quão lotados são os pontos de kite?

Alguns dos pontos mais populares como Cumbuco e Paracuru e as várias lagoas de freestyle podem ser bastante movimentados, mas os lugares que vamos em nossas viagens de longa distância estão bem vazios. Muitas vezes, vemos outros kiters quando passamos por um ponto conhecido como Jeri, Tatajuba e Barra Grande, mas vemos muitas poucas pessoas durante os percursos.

Quão popular é o kitesurf no Brasil?

Os brasileiros adoram andar de kite!! O kite é provavelmente muito mais popular no Brasil do que nos EUA, e as pessoas têm uma atitude muito positiva em relação ao kite. Nos Estados Unidos, muitas vezes recebo um interrogatório quando falo sobre kitesurf com estranhos; no Brasil é um esporte conhecido e amplamente considerado como uma variedade de vela, algo que a maioria das pessoas que moram na costa ou perto dela estão familiarizadas.

Quem vou encontrar na minha viagem?

O Brasil é um lugar popular para viajar, especialmente para os europeus. Em geral, é provável que você conheça outros kiters da Europa: Alemanha, França, Itália, Suíça, Polônia – e também da América do Sul, especialmente Argentina. Você também conhecerá muitos locais – brasileiros, desde pescadores locais a motoristas de buggy, donos de lojas e restaurantes, até pessoas da cidade do Rio e São Paulo e kiters locais!

Como chegar ao Brasil?

A principal porta de entrada para o nordeste do Brasil é o Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza (FOR), embora existam algumas rotas alternativas. Existem apenas alguns voos diretos dos EUA para Fortaleza, então os viajantes dos EUA geralmente voam pelo Rio ou São Paulo e depois voltam para Fortaleza, o que não é o ideal, mas não é tão ruim quanto pode parecer.

Desde de 2018, existem alguns voos diretos de Miami para Fortaleza; se você puder usá-los em sua rota, economizará algum tempo. Atualmente, há um voo que faz MIA-FOR às terças-feiras às 22h40 (Latam 8133) e FOR-MIA às segundas-feiras às 21h45 (Latam 8132). A Latam é membro da Oneworld, que também inclui a American Airlines. Caso contrário, a maneira mais comum de chegar a uma viagem Surfin Sem Fim é via São Paulo ou Rio → Fortaleza → transferência terrestre. Você também pode procurar rotas alternativas através do Panamá e também para JJD (por exemplo: SFO-FLL-VCP-JJD).

Se o seu destino de kite é Preá ou Jericoacoara, há um novo aeroporto a considerar: o recém-inaugurado aeroporto de Cruz/Jericoacoara (JJD). Por exemplo, se você estiver vindo de São Paulo, poderá se conectar diretamente ao JJD em vez de ir para FOR e depois 4 horas de carro para Preá. Há um voo sem escalas de São Paulo/Viracopos (VCP) para JJD aos sábados na Azul.

No extremo oeste do Surfin Sem Fim Wind Land fica a cidade de São Luís, que possui um aeroporto internacional (SLZ). Você pode obter voos diretos do SLZ de volta para FOR, para o Rio ou São Paulo. Como geralmente viajamos de leste a oeste em nossas viagens de kite, os kiters do Surfin Sem Fim costumam chegar via FOR e sair via SLZ. Há também um pequeno aeroporto em Parnaíba (PHB) que pode ser útil em alguns casos.

Para onde quer que você voe, providenciaremos transferências terrestres para o início de sua viagem Surfin Sem Fim.

FERRAMENTAS DE PESQUISA DE VOO: Atualmente, o Google Flights funciona melhor e é o mais fácil de usar.

VIAGEM DE INVERNO: Como a maioria dos viajantes dos EUA vai ao Brasil durante o inverno no norte, evite rotas por cidades que podem ser facilmente afetadas por tempestades de inverno e neve e considere adicionar um dia extra no início de sua viagem, caso você tenha problemas de voo. Assim, você chega no Brasil um dia antes: não tem problema! Evite voar via Atlanta em particular.

O Brasil é muito longe / demora muito para chegar ao Brasil?

É longe, mas do jeito que vemos, viajar faz parte da diversão! Muitas vezes leva ~24 horas para chegar a Preá, por exemplo, de São Francisco. Dado o tempo de viagem, considere tornar sua viagem ao Brasil um pouco mais longa: passe duas semanas explorando o norte/nordeste ou pare no Rio para um fim de semana prolongado.

E quanto ao jet lag?

Como o Brasil está mais ao sul dos EUA do que a leste ou oeste, a diferença de fuso horário é muito menor do que se você for para a Europa ou o Pacífico. Há uma diferença de 2-3 horas da costa leste e uma diferença de 4-6 horas da costa oeste, mas geralmente não é um problema. Minha filosofia sobre o jet lag é: ignore-o. Algumas pessoas adoram falar sobre o jet lag, eu gosto de sair, correr e depois entrar na água e fazer kite!

Preciso de um visto?

Cidadãos americanos precisam de visto (e passaporte, claro) para visitar o Brasil. A boa notícia é que o visto é válido por dez anos! Verifique o site do Departamento de Estado para obter informações ou solicite diretamente usando o novo programa de e-Visa.

Quem são meus guias e que tipo de treinamento eles têm?

Nossos grupos normalmente viajam com dois ou três guias: um capitão e um ou dois co-capitães. Cada guia é um kitesurfista altamente experiente, capaz de orientar e auxiliar nossos clientes em qualquer situação ao longo do percurso. Muitas vezes também temos um piloto profissional com o grupo e/ou um kitesurfista local e nativo que está muito familiarizado com a área. O trabalho deles é fazer você se sentir seguro, protegido e garantir uma experiência incrível!

Como devo selecionar meu equipamento para uma viagem como essa?

Escolha um que esteja em muito bom estado, não tenha mais de três anos, e com o qual você esteja muito familiarizado. Se você tem antigos, é hora de atualizar, mas não imediatamente antes de ir para o Brasil! Aproveite a oportunidade para se familiarizar com qualquer equipamento novo bem antes de sua viagem, para que você não esteja descobrindo seus novos equipamentos em um novo país. Da mesma forma, reserve um tempo para fazer qualquer manutenção ou substituição bem antes de sua viagem. Traga peças de também – uma barra extra, pelo menos uma válvula de kite sobressalente, alguma linha, esse tipo de coisas. Como você está indo para um novo lugar e provavelmente vai fazer kite trips mais longas e por mais tempo do que no passado, você quer que seu equipamento seja 100% confiável!

E se eu tiver um problema na água (como uma falha de equipamento) e precisar ser resgatado?

Lembre-se de que, ao viajar em grupo, sua segurança é a segurança de todos – essencialmente, seu equipamento é a segurança de todos e vice-versa. Se você tiver uma falha com o equipamento, isso afetará todos no grupo e poderá colocar em risco não apenas você, mas também as outras pessoas. Então: antes de tudo, veja as informações acima e selecione com cuidado seu equipamento para sua viagem para que você tenha uma chance mínima de falha do equipamento.

Embora tenhamos guias na água para ajudá-lo, em qualquer aventura, você deve assumir o tempo todo que sua segurança é, em última instância, sua própria responsabilidade – e, portanto, você deve estar preparado para fazer ejeção em águas profundas e auto-resgate, se necessário. Algumas de nossas rotas levam você de 1 a 2 km da costa em alguns lugares. Esteja preparado, escolha uma rota apropriada ao seu nível de habilidade e não se atrapalhe.

Se você tiver um problema na água e precisar de ajuda, um dos guias o ajudará a chegar à costa. Eles são equipados e treinados para realizar esse tipo de resgate em águas profundas, geralmente trocando um kite ou rebocando você para a costa. Você deve estar preparado para abandonar o equipamento sem hesitação em tal emergência.

Comecei a nadar em águas abertas de forma secundária há alguns anos. Poder nadar 2km em mar aberto certamente me deixa muito mais confiante fazendo travessias em mar aberto de kite. 

Em que tipo de condição física eu preciso estar?

Sempre ajuda estar em boas condições físicas, e descobri que força moderada e treinamento cardiovascular melhoraram consideravelmente meu kite e meu nível de conforto em viagens de longa distância. Eu consideraria os seguintes equivalentes aproximados.

Dificuldade da Viagem SSF 

Tempo na Água

Equivalente em
Corrida

Equivalente em

Ciclismo

Fácil

1 hora

½ horas

1 horas

Iniciante

2 horas

1 horas

2 horas

Intermediário

3 horas

1 ½ horas

3 horas

Difícil

4-5 horas

2+ horas (half marathon)

4+ horas

“Ouro”

5+ horas

3+ horas (marathon)

5+ horas

Existem riscos de doenças tropicais como malária, Zika, etc?

É sempre uma boa ideia verificar as notícias recentes e certas condições antes de chegar. O Brasil é conhecido por ter tido alguns surtos relacionados à mosquitos. Isso normalmente ocorre em áreas remotas, próximas à Amazônia e Pantanal. O risco existe, mas faça sua pesquisa e leve a proteção necessária (spray de insetos e roupas de proteção, e você não deve ter nada com que se preocupar!

E a exposição ao sol?

Pegamos muito sol no norte/nordeste do Brasil. Nas nossas viagens de longa distância, a melhor forma de lidar e evitar a exposição excessiva ao sol é cobrir-se! A maioria de nós usa uma camisa apropriada de manga comprida, com FPS de pelo 50, e muitas pessoas também usam meias compridas e, claro, um chapéu e talvez um protetor de rosto/pescoço.

Como é o litoral? Praias de areia? Rochas? Recife?

Um dos aspectos mais notáveis da costa norte do Brasil, de Natal a São Luís, é que é quase inteiramente praia de areia de baixo ângulo e foz de rios de areia e mangue com relativamente poucas rochas e recifes. Há algumas rochas e um lugar em particular que eu conheço com um pedaço desagradável de recife afiado (no ponto de Barra Grande), mas no geral é um litoral muito amigável do ponto de vista geográfico. O que você verá em um determinado dia depende muito da maré, já que há uma faixa de maré de 2 a 4m.

Vou ficar doente com a “gringa” também conhecida como vingança de Montezuma, comida ruim ou água?

Eu não experimentei isso e sempre tive uma boa saúde digestiva no Brasil. Eu geralmente bebo engarrafado lá e como o que parece bom.

Qual a probabilidade de eu me machucar, e se eu me machucar?

Quando viajo para o exterior fazendo coisas como kitesurf e parapente, faço seguro de evacuação médica e repatriação específico para a viagem. É específico da viagem e geralmente custa US $ 100 a US $ 200 por viagem, o que para mim certamente vale a pena. Minha experiência visitando clínicas locais no Brasil para ferimentos leves foi que eles eram limpos e muito profissionais. O seguro entra em jogo para qualquer coisa com risco de vida. Eu costumo fazer meu seguro de viagem da Seven Corners.

Como é a comida no Brasil?

No norte/nordeste, a comida é simples, limpa e saudável; um jantar normal consiste em peixe fresco ou frango com arroz, feijão, farofa e uma salada simples. Fruta fresca é excelente. O café da manhã geralmente inclui muitas frutas, além de ovos, torradas e tapioca, que são crepes feitos de farinha de mandioca.

Algum ponto negativo? Não tende a haver uma falta de vegetais frescos verdes no norte/nordeste, especialmente em comparação com a Califórnia. Dito isto, a comida é fresca e deliciosa (só não tão verde).

Se você parar no Rio ou em São Paulo, encontrará uma culinária brasileira muito evoluída com todos os tipos de restaurantes de classe mundial, além de muitas ofertas internacionais.

Como são os hotéis?

Fiquei impressionado com a qualidade e o charme dos pequenos hotéis do norte/nordeste do Brasil. A maioria dos lugares em que ficamos tem de 6 a 10 quartos e uma energia local única que é acolhedora, confortável, colorida e despretensiosa. Alguns dos lugares são mais luxuosos do que outros. Minha aposta é que você ficará surpreso e encantado com a qualidade das acomodações.

Quanto custa viajar no Brasil?

Viajar dentro do Brasil é relativamente barato. Há sempre opções e uma gama de preços dependendo do seu estilo de viagem. Alguns exemplos abaixo:

Transporte: Você pode pegar um transfer privado de Fortaleza para Jericoacoara por cerca de R$ 450,00 ($ 150) — ou, você pode pegar o ônibus por cerca de R$ 40,00 ($ 13,00). A maioria dos nossos hóspedes escolhe um transfer privado, normalmente partilhado com outros hóspedes.

Jantar: Você pode comer em um restaurante de luxo e pagar R$ 100-150 ($ 30-50) — ou, você pode comer em um restaurante local e pagar em torno de R$ 20,00 ($ 7,00) — e há de tudo entre essas faixas de preço!

Como você pode imaginar, quando estiver em áreas mais turísticas, verá preços mais altos. Além disso, é sempre uma boa ideia ter dinheiro vivo com você, porque às vezes pode ser difícil pagar com cartões de crédito/débito ou encontrar caixas eletrônicos.

Quais são algumas das coisas que eu poderia me surpreender ao saber sobre o Brasil?

  • É um país enorme – quase tão grande quanto os Estados Unidos!
  • Portuguêse é a língua falada no Brasil (não o espanhol)
  • É comum trocar beijos na bochecha ao dizer olá e adeus
  • Arroz e feijão são servidos com muitos pratos
  • Brasileiros se referem a qualquer pessoa de fora do Brasil como “gringo”. Não se ofenda!
  • Cantar, dançar e beber são comuns de se ver

Já estive em Maui antes, como isso se compara ao Brasil?

Pros de Maui: dentro dos EUA, ondas, geografia compacta, cena de ioga groovy, bom café, vegetais frescos

Contras de Maui: arrombamentos de automóveis/crime, poucos picos e lotados, tubarões, recifes, alguns podem notar uma vibe exclusiva da ilha, pode ser caro

Pros do Brasil: O Brasil é maior e oferece mais variedade. Os brasileiros não são tão territoriais e você pode praticar kitesurf em qualquer lugar sem problemas. Sem “vibe de ilha”. Mais barato.

Contras do Brasil: mais longe dos EUA, língua estrangeira…

O Brasil é igual ao México?

Muitos kiters americanos estão familiarizados com o México e podem nunca ter estado na América do Sul ou no Brasil. Não assuma que o Brasil é parecido com o México – porque o Brasil não é nada parecido com o México!

Pros do México: mais perto dos EUA, mais americanos sabem um pouco de espanhol vs português

Contras do México: não tão amigável, muito menos interação com os locais, mais propenso a ser enganado / ter que lidar com a corrupção em primeira mão, menos território acessível, infraestrutura não tão boa

Pros do Brasil: muito mais amigável e muito mais interação com os brasileiros, país muito maior, melhor infraestrutura para kiters, mais visitantes internacionais, mais quente,vendo mais consistente, melhores hotéis, cultura mais cosmopolita/diversificada

Contras do Brasil: mais longe dos EUA

Quais são algumas das desvantagens de ir ao Brasil praticar kitesurf?

No norte/nordeste, é difícil encontrar ondas longas realmente boas. As melhores ondas estão na foz dos rios e pontos de areia. Existem alguns picos, mas em geral você não deve vir para o norte/nordeste do Brasil com a expectativa de pegar toneladas de ondas perfeitas. Dito isto, se houver algum swell na água, certos pontos na foz dos rios, bancos de areia e pontos podem produzir algumas coisas divertidas! E há pontos de ondas incríveis em outras partes do Brasil, como Natal, Rio, Floripa – então considere isso também.

Fácil
Você tem alguma experiência surfando pequenas ondas
Você participou de pelo menos um pequeno downwinder
Você pode andar por cerca de 2h por dia
Sua velocidade média em um vento de baixa é de 5 a 10 km/h
Intermediário
Você tem experiência em andar ao longo de ondas e/ou quer melhorar seu surf
Você tem experiência com pequenos downwinders e quer desafiar a si mesmo e trabalhar em suas habilidades
Você pode velejar por cerca de 3h por dia
Você pode velejar de toe side
Você conhece a técnica e você é capaz de fazer downwinder em uma linha reta
Sua velocidade média em um vento de baixa é de 10 a 15 km/h
Difícil
Você está confiante andando ao longo das ondas
Você tem experiências sólidas de vento
Você pode montar por 3/4h por dia
Você pode andar com segurança longas distâncias em toe-side
Você está confiante com técnicas avançadas de vento downwind (como loop de pipa)
Você está com a velocidade média em um vento baixo é de 15 a 25 km/h